Agendamento pelo WhatsApp
Olá! Clique em uma das opções abaixo e nós retornaremos o mais rápido possível.
Sorocaba Reaproveita 25% do Entulho

Sorocaba Reaproveita 25% do Entulho aluguel de caçamba sorocaba



Sorocaba Reaproveita 25% do Entulho aluguel de caçamba sorocaba



Sorocaba Reaproveita 25% do Entulho aluguel de caçamba sorocaba



Sorocaba Reaproveita 25% do Entulho aluguel de caçamba sorocaba



Sorocaba Reaproveita 25% do Entulho - Santo Anastácio

  Entre em contato via WhatsApp   Entre em contato via WhatsApp Santo Anastácio

Entulhos e outros restos da construção civil devem ser enviados para o aterro de inertes. Em Sorocaba são produzidos mensalmente 45 mil metros cúbicos desses resíduos. Segundo a Prefeitura, 25% desse total é reciclado. Para fazer o descarte correto é necessária a contratação de caçambas que fazem o transporte até o aterro. As empresas que prestam esse serviço devem estar devidamente registrada nos órgãos de fiscalização do município. Na cidade, para atender a população são mantidos 21 ecopontos. 

 

Por meio do programa dos ecopontos, caçambas são disponibilizadas em pontos estratégicos. A orientação é para que nesses locais sejam depositados apenas os resíduos de pequenas obras e podas de árvores. O custo mensal para manter o aterro é de R$ 240 mil. Já os ecopontos custam R$ 135 mil mensais para os cofres públicos. Inaugurado em 2006, o aterro de inertes de Sorocaba funciona em uma área de 203,9 mil m3 na avenida Valentin Stebile, em frente ao Centro de Distribuição de Peças da General Motors (Zona Industrial). 


Engenheiro em controle de poluição e tecnólogo em saneamento, o professor da Faculdade de Engenharia de Sorocaba (Facens), Geraldo do Amaral Filho, afirma que os restos de construção devem ser separados pois, na maior parte dos casos, podem ser reaproveitados. Em Sorocaba, informa a Secretaria de Comunicação (Secom), depois da triagem dos resíduos é feita a britagem dos materiais.

 

Em Sorocaba os restos de construção civil, após serem triturados, se tornam pedriscos e são utilizados como reforço na base de asfalto em obras de pavimentação, construção de calçadas e na manutenção de vias de terra. Já os resíduos de madeira, galhos e folhagens são transformados em composto orgânico e destinados a serviços de paisagismo em praças, jardins e áreas verdes.